PES2018-CartolaFC

Marcus Duarte, do marketing do Vasco, esclarece aos fãs sobre as licenças BR em PES e FIFA

A pergunta que muitos fazem: há todo o Brasileirão e seus atletas, brasileiros ou gringos licenciados no Cartola FC, mas EA e KONAMI não conseguem licenciar os brasileiros para FIFA e Pro Evolution Soccer.

Sagrado, São Januário.
Sagrado, São Januário.

Há muito criticismo sobre os clubes e jogadores sobre isso — acusando-os de serem mercenários e etc.

Para esclarecer isso de uma vez por todas, Marcus Duarte, do marketing do Vasco, gentilmente recebeu um dos colaboradores aqui do PESBR na Vasco Boutique para de vez, explicar que laranjas e maçãs são coisas diferentes: oranges & apples. Apples & oranges.

Marcus, primeiramente muito obrigado pela atenção e por colaborar com o torcedor e fã de games pois outros clubes parecem não entender o quanto a representação de seus clubes de coração em games representa para o torcedor — principalmente os mais jovens.

Eu agradeço a oportunidade e a jovem torcida vascaína sabe que sempre teve sua voz ouvida aqui na colina. ‘São Januário, pra quem não conhece o RJ’.

Esse tipo de licenciamento chega a você?

Sim, sempre. Qualquer coisa que integre a imagem e representação real ou digital dos clubes me interessa e sou informado.

Os dois maiores games de futebol, FIFA e PES não conseguem licenciar os jogadores brasileiros alegando problemas com a FIFPro, até contratos diferentes em relação a direitos de imagem. Sabemos como funciona, você sabe como funciona. Sua opinião?

Não sei para que time você torce, mas o que você acha de ceder a imagem de todo um clube e seus atletas como o Vasco da Gama, o São Paulo, o Corinthians ou o Grêmio por 9 mil reais anuais?

Esse é o valor máximo que foi oferecido pela Electronic Arts ao Vasco, ao Internacional ou ao Atlético Mineiro. O valor mais alto foi oferecido ao Santos: 15 mil reais, talvez eles entendam que esse é o valor de um monstro sagrado como o Santos Futebol Clube?

No contrato há o uso de imagem do clube, emblemas, uniformes, dependências, e uma cláusula que obriga você a te obrigar a fazer os atletas assinarem um contrato cedendo de forma gratuita a imagem deles para estes jogos.

Grátis, e qualquer querela jurídica, o clube, não a empresa, é responsável por arcar com essas dissidências.

Você está lucrando com a imagem do meu atleta e não quer pagá-lo? Absurdo, no mínimo?

Qual a demanda dos atletas? Quanto estas empresas pagam pelo uso de imagem dos estrangeiros?

A maioria dos atletas nem quer algo sobre o uso de imagem deles. São os advogados e empresários que apertam a corda mas nem eles são esses diabos que as empresas acusam. Falta diálogo e não há no Brasil, ao menos com os clubes que trabalhei e trabalho: Vitória, Flamengo, Fluminense, Vasco e até o River Plate da Argentina que contratou meus serviços – essa sanha desvairada que as empresas acusam.

O problema é a falta de um diálogo. Alguém que fale pelo outro lado da mesa e isso não existe no Brasil. Nos mandam um documento para assinar e querem que eu convença o jogador a isso? Ano passado fui chamado a CBF na Barra da Tijuca para assinar contratos de cessão de imagem dos Vasco da Gama (atletas) no padrão: assina e não questiona.

O Vasco é gigante, é grande demais para ser tratado dessa forma. Qualquer clube grande do Brasil não deve e não pode aceitar um moleque arrogante do outro lado da mesa dizer que você deve assinar algo que isso faz bem para o clube.

Quem bem? Sabe o tamanho do Vasco? Do Fluminense ou do Flamengo? Sabe o tamanho do Grenal? Corinthians, Palmeiras? Sabe o que é um Ba-Vi? Esse imbecil (André Bronzoni) não sabe nada e vem querer me ensinar sobre marketing esportivo?

Antes de tentar sentar e abrir um diálogo conosco ele deveria saber um mínimo de futebol, o garoto não
sabe. Não é culpa dele pois confrontado, ele murchou. Culpa é das empresas (EA e KONAMI) que contratam coitados como ele para negociar com lendas do futebol mundial.

Quem no Brasil fala e negocia sobre as duas empresas? Qual empresa, advogado ou agência de marketing negocia pra quem?

Um advogado de São Paulo nos contata. Não há diálogo nem nada.

Conhece André Bronzoni (o garoto Paulista)? É o nome da KONAMI no Brasil. Conhece Gilliard Lopes? O nome da EA no Brasil.

Não, nunca ouvi falar antes de ver o nome no telão na CBF. Entretenimento digital é o mesmo advogado que ano após ano vem pegar assinaturas de contratos de gaveta.

Isso é inaceitável.

Como a Globo regulariza or termos do Cartola FC?

Pagando um valor correspondente ao que essas empresas (EA e KONAMI) pagariam em 12 anos. Aliás, bem mais, estou aqui fazendo as contas mas é um valor que não é o justo, ainda — perto do que os gigantes do Brasil merecem, mas é muito mais que os oferecidos pela gringa.

[…]

Como combinado, o PESBR deixa a Gilliard Lopes e André Bronzoni o direito de resposta. Mais clubes BR se pronunciaram através de nós. Grato a Júlio Salviano por esta colaboração e outros que abordaram clubes de Norte a Sul do Brasil para esclarecer isso.

Marcus Duarte autorizou por escrito esse diálogo e aqui está. Agora os fãs, de PES e FIFA que tirem suas conclusões.

15 comments

  1. Caraca agora o André PES não tem mais do que obrigação de responder, citado nome e fonte. Por dignidade tem de responder ao Vascão sim, fácil só falar e ninguém bater de frente!

  2. A verdade é a seguinte a EA pouco se importa com o nosso campeonato o negócio deles é premier league e pegar licença exclusiva pra ferrar a konami e se der fazer uma agradinho com o mercado sul americano.
    Já a konami é de uma incompetência monstro pois o mercado europeu pra eles já era o negócio ideal seria um investimento pesado na América do Sul principalmente no Brasil.Só que os ”gênios” preferem fechar parceria com Barcelona Borussia Liverpool ou torrar dinheiro com Usain Bolt é brincadeira né? PES tem o Brasileirão só que metade dos elencos genéricos e desatualizados sem cantos de torcida sem placas de publicidade com uma narração ineficaz ou seja uma porcaria.Dai vem o pessoal do webosta batendo palma pra konami é inacreditável a pequenez do povo brasileiro.

  3. O valor então pra licenciar os 20 times da série A seria próximo de R$2.5mi em U$ daria 760mil.
    Realmente a EA n pega pq n quer mermu. A Kunami pode até dizEr q eh grana, mas se fizesse uma força pegaria sim.

  4. Boa Tarde,

    Faço parte da equipe de Marketing do Club de Regatas Vasco da Gama, e Marcos Duarte já não faz mais parte do nosso departamento no vigente ano. Isso pode causa problemas jurídicos para o dono desse blog.

    1. Faz mesmo? Cite três nomes de quem trabalha com você. Dois, pode ser dois e diga o que eles fazem exatamente aí no clube.

      Não foi citado data do bate-papo com o Marcus, aliás, isso foi em Novembro de 2016. Lá ele já sabia que não ficaria pela pressão pelo fato dele ser flamenguista. Aprenda a interpretar o que lê.

      Expresse seu ódio pelo PESBR, por mim, pelo Júlio ou pelo Marcão (Barbosa) para além deste espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *