PES2018-KONAMI-MyClub

Medo e Delírio em Las Vegas? Nah. They’re Fine! Burrice e Incompetência em El Segundo, Califórnia.

Medo e Delírio em Las Vegas? Nah. They’re Fine! Burrice e Incompetência em El Segundo, Califórnia. Não, senhores. PES 2018 não é o último da franquia Winning Eleven ‘defacto’.

Ele é apenas a transição para um PES 2019 e PES 2020, este sim o final — onde nos sonhos mais grandiloquentes da KONAMI, MyClub e e-Sports renderão próximo a 300 milhões de dólares anuais apenas com updates a là softwares para PC, Tablets e Smartphones — nada de lançamentos anuais.

E obviamente: paid packs (MyClub Coins). Assim como a EA enche o rabo de grana com seus FIFA Points que venhamos e convenhamos, ao menos fazem jus ao que se paga por eles.

Vamos chorar pelo pay to win? Sou da geração fliperama e deixei fortunas em máquinas como Rygar, Double Dragon, Golden Axe, Pit Fighter, Mortal Kombat… e o FDP do dono do fliperama ainda estimulada a competição colocando na parte de cima das máquinas os nomes dos recordistas — que se vangloriavam dos demais.

Só sei que hoje o sujeito que era dono de duas lojas de flieprama + boteco em São José do Rio Preto – SP, é dono de umas oito ou nove importadoras de material para computadores e games.

Tudo fruto de? Fichas. Insert Coins, baby.

É tão absurdo assim então os sonhos de grandeza do MyClub? Lógico que são. Sem licenças, não há para onde o MyClub crescer fora da Ásia. Sem servidores decentes, e duvido que a S.M. Entertainment cederá os dela para PES.

Vejamos o caso de Jikkyō Powerful Pro Yakyū Series, que só vende menos que Yu-Gi-Oh!

Kyle Schwarber, Pablo Sandoval, David Price, Rick Porcello, José Bautista, Josh Donaldson, Jake Arrieta, Yan Gomes, Starlin Castro… ??? Não, nenhum destes caras estão no joguinho tosco de Baseball que gera uma fortuna a cada trimestre para a KONAMI — sem pagar por licenças.

Consegue imaginar a KONAMI pagando 28 milhões pela licença do Los Angeles Dodgers? E 40 milhões pela licença do Chicago Cubs? Ok vai, vamos baratear a feira: 11 milhões pelo Toronto Blue Jays, já que o dólar canadense vale 40% menos que o dólar americano.

Pra quê? Aí eu te pergunto… se dá pra fazer fortunas com bonequinhos cabeçudos e pseudo-engraçados, vamos gastar 8 milhões de dólares por dois anos da Russian Super League e quase 5 milhões pela Liga A – Águila Colômbia? Que absurdo senhores.

Já economizaram uma fortuna: 3 milhões de dólares excluindo Copa Sudamericana, Recopa Sudamericana e Copa Suruga Bank (que a KONAMI teve direito desde 2013 e jamais ‘usou’).

Acho que já cravei meu ponto e todos entenderam porque é ilusão sonhar com uma Master League melhor ou novas licenças para agora, ou para o futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *